1 – Reveja sua conta de celular

 

Com tantos apps para se falar (como Whatsapp, Telegram etc), fazer ligações é uma coisa cada vez mais rara. Ainda assim, é comum ver planos de celular com 200 e até 500 minutos mensais! Faça essa pergunta: eu uso isso tudo?

Entre em contato com sua operadora, entenda seu plano e as alternativas que eles podem oferecer para que a conta fique mais em conta e dentro do seu perfil. Se não conseguir negociar, estude a possibilidade de mudar de operadora. Afinal, mobilidade está aí pra isso!

 

2 – Anuidade do cartão de crédito: negocie

A anuidade do cartão geralmente vem parcelada e mostra um valor razoável à primeira vista. Mas basta fazer a soma para você tomar um susto. Anuidades de R$ 150, R$ 200, R$ 220 são muito comuns e são gastos que poucos percebem. Pensa com a gente, o que você compraria com esse valor? Seu seguro viagem, uma parcela de uma viagem internacional? Pois é!

Entre em contato com a administradora do seu cartão para negociar o valor. Se a conta atrelada ao cartão for a mesma que você recebe seu salário ou tem outros serviços contratados (como consórcios, por exemplo), maiores são suas chances de ganhar desconto.

 

3 – Faça comida em casa

amigos-comida

Comer fora é ótimo, mas multiplicando o custo de um prato pelo número de refeições e dias da semana… É, você vai chegar em um valor bem alto. Mas, calma: não é para deixar de comer, de se divertir ou socializar para viajar, viajar, viajar. Mas, sim, procurar equilibrar as coisas!

Se você for habilidoso na cozinha (ou tiver alguém que faça para você), é muito mais vantajoso fazer compras no mercado e cozinhar. Invista na marmita, nos sanduíches, frutas e pequenas outras refeições e deixe para comer fora nos dias mais atarefados, especiais ou para aquela social. Além de econômico, é muito mais saudável!

 

4 – TV a cabo: precisa mesmo?

Esse é um daqueles pontos em que você terá que parar pra pensar e ver o quanto é importante ou necessário para você. Para muita gente a Netflix substitui fácil a assinatura da TV a cabo. Para outras o papo não é bem assim: a TV é o momento de relaxar e assistir a vários programas da assinatura.

Se você mal liga a TV, está na hora de fazer aquele telefonema para cancelar a assinatura ou encontrar um pacote mais básico.

 

 

 

5 – Música por streaming

É mais ou menos o mesmo caso que falamos acima. Se você faz tudo com música e não consegue abrir mão, a gente vai entender. Mas se você não usa tanto e tem a assinatura só para alguns momentos, talvez a alternativa gratuita seja mais válida.

Às vezes temos gastos que vamos deixando aparecer na fatura por ter custo baixo e tal, mas que, ao serem somados, chegam a valores que poderiam ser poupados.

 

 

 

6 – Roupas e sapatos: seja a rata (ou o rato) das promoções

As vitrines são uma prova de fogo, mas se o seu foco é economizar dinheiro para viajar, finja que não viu aquela blusinha linda. Tem gente que consegue ficar muito tempo sem comprar roupas e sapatos, mas se esse não for seu caso, das duas uma:

Ou compre quando estiver em promoção – geralmente acontecem em trocas de coleção – ou compre roupas e sapatos que servirão para uma viagem ou para mais de uma função. Isto é, produtos ecléticos e de qualidade – afinal existem economias que não valem a pena. Lembre-se: o barato pode sair caro.

Por exemplo: se for para comprar, procure por tênis mais resistentes, sapatos confortáveis e roupas curinga (aquelas que servem para várias ocasiões).

 

7 – Procure alternativas criativas

pizza

Mais uma vez um ponto que só você saberá sobre si, mas que vamos deixar uma ideia mesmo assim.

Um dos grandes custos mensais são voltados para o estilo de vida, isto é, a pizza pedida por telefone, a hamburgueria gourmet, o cinema, a cerveja do final de semana ou a balada de sexta. Vai ser difícil dizer não, mas tampouco você precisa deixar de se divertir.

Procure reunir os amigos em casa, assistir filmes do sofá, fazer o esquenta antes da balada comprando as bebidas no mercado. Procure lugares mais em conta para sair ou comer, tente priorizar programas gratuitos ou de baixo custo. Se você gosta muito de festas, não deixe de ir, mas tente diminuir a frequência.

 

8 – Caminhe ou ande de bicicleta

amsterda-bikes

Além de colaborar com a natureza e ajudar a desafogar o trânsito, utilizar o transporte público também ajuda a poupar dinheiro: gasolina, estacionamento e táxis custam caro. Tente deixar essas alternativas para o último caso ou quando valer muito a pena.

A alternativa é fazer uma boa caminhada, andar de bicicleta ou fazer o esquema da carona

 

 

 

 

9 – Venda aquelas coisas encalhadas ou sem uso

Nunca foi tão comum e fácil vender coisas pelas internet sem ser uma loja. Sites especializados como o Enjoei, o Mercado Livre e a OLX ajudam o vendedor a anunciar seus produtos para milhares de possíveis interessados.

Uma TV, celular, monitor, livros, jogos, ar condicionado! Dá para vender tudo online e ganhar dinheiro com alguma coisa que estava encostada na sua casa.

 

 

 

10 – Não quer vender? Doe!

Doar é um gesto lindo e ainda te ajudará a ver o que faz parte da sua vida e o que já não faz mais. Acumular coisas nem sempre é vantajoso e aquelas que você não usa mais pode deixar outras pessoas muito felizes.

 

11 – Faça um diário dos gastos

E aqui vale de tudo: da bala até a conta do restaurante. No momento que você começar a registrar seus gastos, você começará a perceber em qual ponto estão seus maiores gastos, ver o que pode ser evitado e, automaticamente, irá procurar poupar mais.

 

12 – Use dinheiro ao invés do cartão

euro-moeda

A gente acaba perdendo as contas quando só passa o cartão na maquininha. O dinheiro vivo na carteira faz com que tenhamos mais ideia do valor que temos e, assim, acabamos nos controlando. Mas, claro, vale sempre lembrar: por questão de segurança, não ande com grandes quantias!

 

 

 

 

13 – Faça compras conscientes

Bateu uma vontade louca de comprar algo que, do nada, você não consegue mais viver sem? Calma! Dê mais uma volta, pesquise o produto na internet, compare preços. Mais do que isso tudo: pense e repense sobre esta compra. É necessária? Vai te ajudar a longo prazo, servirá para outras demandas, você vai realmente usar?

 

14 – Compare preços antes de comprar

confirmacao-de-compra-de-passagem

Vai comprar? Então não deixe de fazer aquela pesquisa de preços antes de comprar remédios, eletrônicos, livros, comida etc. Comparando preços, você pode conseguir valores muito mais em conta!

 

 

 

 

 

15 – Compre ou faça um cofrinho

Summer piggy bank with sunglasses on the beach

Vale os porcos de barro ou os de plástico comprados nas lojas de R$ 1,99. Vale também fazer um de garrafa pet. O importante é ter um cofrinho. Tire as moedas dos cantos e de dentro do bolso e vá juntando, juntando, juntando. Perto de viajar, abra o cofre. Algumas pessoas aqui no Mundi já juntaram R$ 300 em meses.

 

 

 

 

16 – Mande dinheiro direto para a poupança

Procure depositar na poupança entre 10% e 15% do seu salário. Conseguiu economizar mais? Melhor ainda! Envie mais.

 

17 – Crie metas

Crie uma meta e mantenha seu foco nela, como, por exemplo, economizar R$ 100 por semana. Mas crie metas que sejam realistas. Não adianta se sacrificar e, ainda, ter grandes chances de não conseguir alcançar. Isso só vai causar frustração e você logo logo irá querer desistir.

 

18 – Procure uma renda extra

O famoso freela dá uma ajuda para conseguir um dinheiro a mais no final do mês. Além disso, profissionalmente falando, pode acabar abrindo novas portas e gera mais experiência para você.

 

19 – Fique de olho nos pontos do cartão e outros programas de vantagens

Nem sempre damos a devida atenção para os programas de vantagens, como o Dotz, ou os acumulares de pontos, como o Multiplus. Mas a verdade é que, aos poucos, eles podem gerar algum benefício para você.

 

20 – Planeje suas compras

Além das pesquisas para comparar preços, faça listas de compras. Uma vez fixado no papel, fica mais difícil sair do foco, acabar desviando das compras originais e levar coisas desnecessárias ou impensadas para casa.

Essa regra pode ser aplicada em outras situações também. Por exemplo, se sexta o cabeleireiro oferece cortes por R$ 94 e, às segundas, o mesmo serviço sai por R$ 47, programe-se para cortar na segunda-feira. O mesmo vale para promoções do mercado e, claro, para a marcação de férias.

Fica a dica: férias escolares, feriados prolongados e período de festas são os mais procurados e, assim, os mais caros para viajar. Procure se deslocar em meses alternativos para economizar!

 

Fonte- BLOG MUNDI

  • SHARE

Comments are off this post