Há algum tempo, o brasileiro descobriu que viajar pode ser mais barato e menos complicado do que sempre imaginou. Tendo a internet como aliada, encontrar promoções de passagens aéreas, fazer a reserva em um hotel no outro lado do mundo e montar o roteiro ficou muito mais fácil e, até mesmo, mais divertido.

Entretanto, muitos viajantes inexperientes ainda têm dúvidas na hora de planejar aquela viagem dos sonhos. Nesse momento, quatro perguntas básicas ajudam o turista a fazer a escolha certa. Na verdade, essas questões levam a uma reflexão sobre o perfil de quem está viajando. De como ele se comporta em culturas e climas diferentes, do recurso financeiro e do tempo que disponibiliza. Respondendo a essas perguntas, planejar uma viagem se torna mais fácil e as chances de acontecer algo errado ficam muito menores. Então, tome nota e aprenda como planejar uma viagem.

Para onde ir?

É muito importante que o viajante escolha um destino que se adeque ao seu perfil. Pessoas que gostam de centros urbanos e da agitação de grandes cidades podem se sentir entediadas em uma viagem para a Floresta Amazônica ou em um safári na África do Sul, por exemplo.

Por outro lado, se estiver planejando viajar com crianças, pense em escolher um destino que tenha programação para os adultos e para os pequeninos. Las Vegas, por exemplo, é um destino essencialmente noturno e, portanto, nada interessante para crianças.

Para mulheres que viajam sozinhas é importante observar como a cultura do país de destino absorve esta informação: em muitos lugares, como no Egito, uma mulher viajando sozinha poderá ser alvo constante de assédio sexual, o que causa desconforto e uma sensação desagradável de insegurança.

Outra questão importante é pensar na capacidade de mobilidade de quem viaja. Idosos geralmente evitam fazer longas caminhadas ou subir e descer ladeiras. Nesse caso, Machu Picchu talvez não seja uma boa opção.

Não esquecer de verificar se o país de destino exige visto ou passaporte é outra importante dica. Esteja atento ainda a outras questões burocráticas como vacinas obrigatórias e seguro viagem. Se tudo isso pesar no orçamento, é hora de escolher outro lugar para passar as férias.

Quando ir?

Com o destino em mente, é hora de decidir a melhor época de visita-lo. Nessa etapa, é essencial ter informações sobre clima, alta e baixa temporada, e buscar pelos melhores preços. Já imaginou chegar em Bariloche e não encontrar neve? Ir à Europa no inverno e não conseguir sair de dentro do hotel porque a neve está batendo no seu nariz? Ou, então, desembarcar em uma região em meio a rumores de guerra?

Quem não gosta de frio, viaja no verão. Quem não quer gastar muito, escolhe a baixa estação. Toda informação sobre o destino escolhido poderá fazer com que a viagem seja melhor e mais bem aproveitada já que o viajante estará mais preparado para o cenário que vai encontrar.

É nessa hora que os relatos encontrados nos blogs de viagem podem ajudar. Contando suas experiências, viajantes de todas idades, classes sociais e, portanto, com perfis bem diferentes, dão dicas e compartilham histórias reais sobre quase tudo. Bater um papo com aquele amigo mais viajado também vale à pena.

Por quanto tempo?

A maioria dos brasileiros viaja uma vez por ano, durante as férias de trabalho ou de escola, e quem consegue viajar mais do que isso já pode se considerar um privilegiado.

Com apenas 30 dias livres por ano, muita gente precisa se desdobrar para conhecer tudo o que deseja e, muitas vezes, uma viagem que deveria ser de descanso, resulta em estresse e correria. Rodar toda a Europa em um mês pode parecer loucura para alguns, então, por que não escolher dois ou três países e conhecer melhor sua cultura, história e culinária? Uma aventura pelas cidadezinhas do interior da França, da Itália e da Espanha, por exemplo, pode ser uma boa escolha para quem quer diminuir o ritmo e descobrir lugares fantásticos.

Outra opção é pesquisar como aproveitar melhor os dias em uma região. Se o plano é visitar Buenos Aires, na Argentina, por que não acrescentar mais dois ou três dias para conhecer Montevidéu, no Uruguai? Como as cidades ficam relativamente perto, essa dobradinha ajuda a economizar tempo e dinheiro.

Como ir?

Com o destino escolhido e definida as datas da viagem, chegou a hora de comprar as passagens. Nessa hora, um bom agente de viagem pode lhe ajudar. Embora algumas pessoas acreditem que a maneira mais econômica seja comprar diretamente pela internet, muitas vezes as companhias aéreas fazem promoções exclusivas para as agências. Logo, o ideal é comparar os dois preços.

Para quem não se sente seguro em viajar sozinho ou para aqueles que têm dificuldades com a língua falada no país de destino, pacotes turísticos podem ser ideais. Nesses casos, você irá pagar um pouco mais, mas terá toda a comodidade merecida sem ter que se preocupar com quase nada.

Já para os mais aventureiros, viajar de ônibus e de trem vale muito à pena em vários países da América do Sul e da Europa. De forma geral, os preços das passagens são acessíveis e não há preocupações com o conforto e com a segurança.

Fonte: www.penaestrada.blog.br

  • SHARE

Comments are off this post