O novo coronavírus, chamado de COVID-19, já foi encontrado em diversos países pelo mundo, gerando muitas dúvidas entre moradores e turistas, especialmente se devem ou não viajar nesse momento.

Para tirar dúvidas e ajudar na sua decisão, separamos 6 dicas e explicações essenciais, incluindo relatos de brasileiros que moram em países com casos de coronavírus, para saber como está de verdade a situação nesses lugares. Venha se informar então e descobrir o que é exatamente o coronavírus, como se proteger, se é melhor viajar ou não, quais seus direitos em caso de cancelamento e mais. Vambora!

1-) O que é o Coronavírus e a COVID-19?

O coronavírus é uma família de vírus que pode causar doenças respiratórias em animais e seres humanos. Coronavírus famosos que já causaram problemas no passado foram a SARS (que apareceu na China em 2002) e a MERS (descoberta em 2012 na Arábia Saudita). O novo coronavírus descoberto em dezembro de 2019 na China foi denominado de COVID-19.

Outras doenças respiratórias que já causaram reação semelhante no mundo, foram a do tipo Influenza (que hoje em dia já tem vacina) como a Gripe Suína (H1N1) descoberta em 2009 e que inclusive fizemos post no blog sobre essa gripe na época. Ela causou entre tantos efeitos, busca por máscaras, álcool gel e muitas dúvidas em relação a viagens, assim como está acontecendo agora com a COVID-19.

2-) Quais são os sintomas do coronavírus?

Os sintomas do novo coronavírus são bem semelhantes com uma gripe, incluindo febre, tosse, coriza e dor no corpo.

O que difere o COVID-19 de outras síndromes respiratórias e que pode causar preocupação é a dificuldade respiratória, como em atividades simples, como andar ou subir uma escada. Uma vez com isso e sem tratamento, há chances de ter complicações, como pneumonia e outros agravantes, por exemplo.

Dos casos descobertos até agora, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), 80% das pessoas com o COVID-19 se recuperam do vírus sem nenhum tratamento especial (apenas água, repouso e analgésicos anti febre, preferencialmente do tipo paracetamol). O que se viu é que em pacientes idosos ou pessoas já com problemas de saúde (respiratórios, diabéticos e cardíacos) há maior chance de haver complicações da doença.

Uma vez apresentando dificuldade respiratória (juntamente com os demais sintomas acima) ou tendo visitado um país com casos confirmados de Coronavírus é preciso avisar as autoridades médicas da sua cidade e estado.

N

o Brasil, o Ministério da Saúde recomenda que “Os casos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.”

3-) Como se proteger do coronavírus

Medidas simples, e que devem ser sempre tomadas, evitam a disseminação e contaminação por coronavírus. São elas:

– Lavar frequentemente as mãos com sabão e água por pelo menos 20 segundos, esfregando bem os dedos e palmas. Álcool gel, com graduação alta (70%) também pode ser usado caso não tenha acesso a água e sabão.

– Proteja seu rosto quando for espirrar ou tossir, com um lenço ou faça isso usando o braço, cobrindo boca e nariz usando a região do cotovelo.

– Evitar aglomerações e mantenha distância de pelo menos 1 metro de qualquer indivíduo com sintomas respiratórios como, tosse, espirros.

– O uso de máscaras simples não protege de forma eficiente pessoas contra o vírus. O ideal é que apenas pessoas com algum sintoma do coronavírus e profissionais da saúde usem a máscara apropriada para evitar que outras pessoas peguem também o vírus. A máscara mais correta é a que veda completamente a boca e o nariz, sendo a N 95.

Nas últimas semanas e dias, muitos países e cidades, para ajudar a conter o vírus, estão pedindo também que as pessoas permaneçam nas suas casas, evitando contato social de qualquer maneira. Isso já está ocorreu em diversas cidades na China e agora acontece também na Itália, França, Espanha e São Francisco, por exemplo. Veja mais informações sobre a situação em diversos locais do mundo mais abaixo.

Importante: Autoridades em todo o mundo estão pedindo para que pessoas comuns parem de estocar máscaras e álcool gel sem necessidade. A compra sem necessidade desse tipo de material só atrapalha quem realmente precisa, como profissionais da saúde que tem que lidar diretamente com pessoas doentes.

Ações, como lavar frequentemente a mão e proteger boca e nariz ao tossir e espirrar, são atos simples e básicos que devem ser sempre feitos para evitar contaminação de doenças em geral, incluindo a COVID-19.

Fazer seguro viagem na hora de viajar

Fazer um seguro viagem é essencial para qualquer destino. Se antes do novo vírus já sempre foi indicado fazer um seguro viagem, agora é importantíssimo, para não dizer obrigatório (como já é para entrar em diversos países da Europa, por exemplo).

No caso específico do novo coronavírus, ele passou a ser considerado uma pandemia pela OMS no dia 11/03/2020. Assim sendo, grande parte dos seguros viagem não cobrirá mais, por contrato, o tratamento da doença no exterior. Caso você apresente sintomas e for ao serviço médico, estará coberto, porém caso seja confirmado que possui a doença no exterior, o sistema público de saúde do país onde estiver, é quem deverá realizar o tratamento.

Nesse momento, fomos informados pela Seguros Promo de que “A Assist Card é a única seguradora, até o momento, que informou que manterá a cobertura para despesas médicas hospitalares mesmo após o diagnóstico da doença. As demais coberturas da apólice perderão a validade.”

Veja aqui opções de seguros viagem e preços para o destino e época que for viajar. No site da Seguros Promo, que sempre usamos aqui no blog, é possível compará-los e ver todas as coberturas que estão incluídas.

 

Fonte: blogvambora

Por: Guta Cunha / blogvambora

Imagens: Istock

  • SHARE

Comments are off this post